Links Patrocinados: do be-à- bá à experiência profissional


Ao concluir o Google Adwords Advanced, percebi que muita coisa podia ser melhorada em links patrocinados. E uma infinidade de possibilidades de anúncios, que vem com uma infinidade de dúvidas também.

Aqui, vou fazer um paralelo, só para as pessoas entenderem que, assim como toda empresa, o Google também tem seus interesses de captação e expansão de negócios. Mesmo com todo o processo de certificação, percebi algo ainda maior: o que funciona no dia a dia e o que são recomendações.

Como em tudo que você faz na vida é importante ver "os dois lados da moeda" e avaliar caso a caso, trabalhar links patrocinados não é diferente. Tudo depende das necessidades do cliente e do que foi elaborado como planejamento da campanha. E acho que é exatamente isso que o Google quis dizer e é exatamente isso que eles fazem como empresa. Acredito que não há mal nenhum nisso.

Por esse motivo, abro minhas experiências para tentar evoluir a percepção das pessoas em relação à links patrocinados, saindo um pouco da página de ajuda do Adwords.


O GOOGLE: Está na cartilha de "boas maneiras" do Google Adwords, a recomendação para que os especialistas em links patrocinados permitam o acesso das agências e dos seus clientes às suas contas para que todos possam perceber como está sendo feita a atualização.
O DIA A DIA: Na realidade, isso não é nada funcional. Imagine ter que explicar para cada cliente como funciona a ferramenta, entre outros detalhes de uma administração de conta... seria melhor pedir um FI a mais pelo curso. E se você não puder confiar no seu fornecedor, é melhor partir para outra. Afinal, colocou sua marca nas mãos dele.

O GOOGLE: Os relatórios, de acordo com a recomendação do Google, são preferencialmente enviados aos clientes através de links, gerados diretamente da MCC do Adwords: uma prova mais confiável dos resultados (menos fácil de alterar que um PPT).
O DIA A DIA: Se for levar em conta a argumentação da URL, isso qualquer programador poderia alterar. Aqui, também vale confiar no seu fornecedor. E muito mais que isso: qualquer planejador que se preze, não apresentaria um excel para contar o resultado da sua campanha aos seus clientes. Há um encantamento que faz parte do processo todo. E afinal, quem não gosta de ver o resultado da sua campanha, de forma clara, objetiva, colorida e fácil de entender?

O GOOGLE: É possível vincular seu link patrocinado ao Google Maps, à um segmento específico de vídeos no Youtube e em sites direcionados, como Last.FM, Blogs entre outros. Links patrocinados não são somente aqueles anúncios que percebemos no topo e no lado direito de quem faz a busca no Google.
O DIA A DIA: Aqueles mais acomodados, preferem não oferecer esses diferenciais para não ter mais trabalho ainda, já que o cliente está viciado em ver relatórios de cliques. Mas esse diferencial, pode ser cobrado junto às horas de trabalho. Para propôr tantas soluções, é necessário mais tempo gerenciando,mais tempo trabalhando e uma criação mais elaborada para os anúncios, que muitas vezes envolve adaptação de layout. E tudo isso tem o seu preço, claro.

O GOOGLE: Assim como o cliente é viciado em CPC, o Google é em CTR. E ele passa essa sensação aos seus clientes e especialistas. Para ter um bom CTR é preciso ter um bom histórico de conta, uma boa relevância dos anúncios para o usuário e dos anúncios em relação ao próprio site de destino; isso se intensifica quando anunciamos em redes de conteúdo. Agora, tudo isso junto e mais uns segredinhos "somam pontos" que ajudam seu anúncio a aparecer entre os primeiros colocados.
O DIA A DIA: Relevância é determinante na hora de planejar, mas pergunte-se sempre: "O que é mais importante nesse momento?" Numa ação relâmpago, numa sustentação de campanha, numa promoção, ou para um novo cliente e conta, o importante é que as pessoas conheçam o que você está oferecendo. E a relevância entra na forma de segmentar a campanha + escolha das keywords.

Mais alguma coisa? Espero que a experiência de cada um possa ajudar a contribuir.