Onde está a Usabilidade para você?




Outro dia, ao dar uma entrevista para revista Proxxima, do M&M, percebi a grande dificuldade das pessoas em separar o que é Usabilidade e o que é User Experiences. Não só como o mercado de trabalho te reconhece, mas até a maneira como os profissionais da área se colocam.

Quando falamos em User Experiences, falamos de uma cadeia de profissionais envolvidos em prestar sua contribuição para uma boa experiência do usuário. A Chloe Gottlieb trouxe um bom exemplo nesta entrevista

Portanto, os profissionais de User Experiences são todos aqueles que fazem parte dos núcleos estratégicos, criativos e de tecnologia, trabalhando juntos para a melhor experiência.

Nas agências, os profissionais da área de UX, são os responsáveis por conectar essa cadeia, entregando documentos como wireframe - que é a primeira concepção do design - e análises estratégicas sobre comportamento de pessoas, navegabilidade, e referências de interface para que o trabalho siga por todas as etapas de UX, com mais segurança e integração, do ponto de vista do negócio e das pessoas.

E Usabilidade, onde entra? As duas disciplinas se conectam em determinado momento, mas a Usabilidade é um braço de User Experiênces que indica boas práticas para o desenvolvimento de produtos com foco em pessoas. Portanto, o que é indicado como boa usabilidade para um determinado produto, não faz sentido para outro. Depende do perfil de uso de cada grupo que você quer trabalhar.

Por isso considero que não existem REGRAS de Usabilidade. Entendo que existem cenários de uso dentro de um senso comum entre grupos de pessoas para ter realmente uma usabilidade eficiente. Concluindo, alerto sobre o cuidado que um profissional de Usabilidade deve ter com as heurísticas na hora de fazer um teste. O maior erro pode não estar na interface, mas sim em não compreender as pessoas, cenários de uso e estratégias de produto e negócio.

Muitas vezes, vale mais a pena arriscar uma maior curva de aprendizado para apostar em inovação, especialmente em projetos de logo prazo. O Twitter fez e a Apple fizeram isso no lançamento de seus produtos. Afinal, arriscar só envolve grandes riscos se você não tem os objetivos bem definidos para começo, meio e fim de cada projeto. E se você não teve tempo de pesquisar e embasar a estratégia de suas decisões.

Para mim a Usabilidade está em cada um. Se as pessoas se sentem confortáveis com a experiência de uso ou simplesmente conseguimos dispertar um grande desejo pela estética que as fariam voltar a ter aquela experiência ou desejam ter aquele objeto, já não seria um sucesso para o produto? Pra mim, isso também é design thinking.