Porque UX foi tema de um festival de Advertising?



Em Cannes 2012, o assunto UX (user experiences) teve papel bastante ativo esse ano (ver matéria da Próxxima).

Isso porque, não tem como negar que a comunicação das pessoas (especialmente em áreas urbanas), sempre acaba repercutindo em alguma interface digital. Pode ser a partir de um desktop, smarthphone, tablet ou de uma pulseira e tennis, como o case de Nike+ Fuelband Grand Prix Titanium da R/GA.

 E para fazer a ponte entre comunicação e tecnologia, algumas agências absorveram o conceito de User Experiences para seu processo criativo com foco em plataformas digitais: à partir disso, se tornou possivel conectar Planejamento, Produção e Criação à processos que estavam antes ligados à Tecnologia, como Engenharia Mecatronica, ou Desenvolvimento de Software e outras disciplinas ligadas à IHC.

As agências como a HUGE, Razorfish e R/GA são algumas que abraçam a disciplina de UX como parte do seu DNA, desde a concepção de campanhas até desenvolvimento de produtos. Elas souberam exatamente como isso impacta na capacidade de se comunicar e envolver marcas e pessoas. E, se para isso for preciso criar um "device" novo para proporcionar melhor essa interação, mãos à obra!

Com o final do festival de Cannes Lions 2012, pude encontrar alguns vídeos interessantes de depoimentos sobre como essas empresas adotaram o processo de UX:

Seminário com Bob Greenberg _R/GA Cannes 2012.




Entrevista com Michal Pasternak da HUGE sobre seu workshop UX Unicorns, em Cannes 2012.


No ano passado, contei a vocês sobre meu benchmarking de UX em algumas agências em NY e San Francisco, onde pude visitar, entre outras, a agência HUGE de New York para entender um pouco desse processo, onde UX não é só uma disciplina integrada à Criação, mas é um modo de se fazer comunicação e está ligado à todas as áreas da agência. Esse ano, em Setembro, estarei visitando agências em Londres e Barcelona com o mesmo objetivo.

Como parte dessa curiosidade e há anos trabalhando com Advertising, o resultado dessa investigação foi poder ajudar a direcionar a integração desta disciplina junto ao processo de Criação de algumas agências, como NeogamaBBH, AlmapBBDO (freelancer) e Razorfish Brasil. E, agora, estou trabalhando de forma independente, com Consultoria Estratégica de User Experiences, Arquitetura da Informação e Interaction Design, com foco em UX para Advertising.

Bom, a gente já falou um pouco de como as agências estão incorporado o processo de UX na comunicação, é legal entender como elas integram os perfis de tecnologia à criação, durante uma avaliação para contratação de profissionais. Ao buscar algo interessante nesse tema, encontrei aqui, um post da W+K genial até no título "Nós não estamos contratando Tecnólogos Criativos". Uma visão bem bacana, importante na hora de definições de skills e responsabilidades quando se tem uma equipe grande, onde todos tem foco em User Experiences.

Afinal, UX não é uma pessoa e sim um processo com alguns responsáveis e especialistas diversos ajudando a conduzir o melhor caminho, de acordo com os objetivos de cada empresa. E nesse processo, os profissionais destas diversas áreas trabalham para entregar a melhor experiência com foco em pessoas. Isso foi tema de um post do ano passado, em uma entrevista que fiz com a lider de Interaction Design da R/GA.

Aliás, quem esteve em Cannes e quer se aprofundar mais sobre uma das mais importante disciplinas de um processo de UX, pode se inscrever no IxDA 2012 que este ano acontece em São Paulo.

Mais informações e contato:
@melinalves 
melinalves@gmail.com