Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

Retrospectiva do último dia de palestras no Interaction South América 2013 | Recife

Imagem
No segundo dia de Palestras do Interaction South América 2013 #isa13 ou @ISAmerica2013, grandes nomes do Design de Interação ajudaram a encerrar a temporada no Brasil com chave de ouro. 
Algumas palestras foram mais técnicas, outras mais provocativas e todos com uma mensagem relevante. 
Catarina Mota, de Lisboa, despertou o conceito de inovação a partir da transformação em todos. Falou sobre o uso inteligente de materiais para proporcionar incentivar o "Designing for Hackability", onde a mensagem principal incentiva os designers à observarem tudo que está em volta como algo ainda não terminado. Todos os objetos tem capacidade de transformação e interação. A partir do conceito primário dos objetos, é possível transformá-lo em algo verdadeiramente novo e adaptável às necessidades das pessoas." Isso se aplica a produtos, serviços e até mesmo à metodologias.



Bill Buxton , Luciano Meiradespertaram o lado emocional do Designer de Interação. Sarah Córdoba a apresentou o modelo…

Arquitetura Urbana e Design de Interação: um casamento perfeito

Imagem
Nos dias do Interaction South América 2013, acompanhei casos de experiências interativas em ambientes urbanos.
Em 2011, Caio Vassão, nos presenteou com sua palestra sobre Ecologias da Interação,


Este ano, com Gustavo Requena, pudemos ver alguns exemplos de experiências emocionais em espaços urbanos.


A interação em espaços urbanos também foi tema de Artigos Acadêmicos, "Riscos: interações Sociais Urbanas" apresentado pela jovem e talentosa Isabela von Mühlen Brandalise,


onde um jogo interativo proporciona uma experiência de descoberta de novos espaços urbanos, a partir da gamificação de mapas. 

Ainda não podemos nos esquecer do Pedro Miguel Cruz, que mostrou diversos trabalhos referências no mundo todo,  traduzindo as informações de trânsito de Lisboa em uma metáfora interativa da cidade, por meio de data visualization  ele conseguiu colocar arte e despertar a atenção do mundo ao relacionar o trânsito, à um organismo vivo, e as vias de tráfego, como as "veias" do corpo …

Processos de descoberta e testes de UX ou Focus Group, como assim?

Hoje recebi a seguinte dúvida: como identificar se devo iniciar um processo de pesquisa com Experiência do Usuário, ou Focus Group?
R: UX é um processo que tem foco em compreender as pessoas para realizar projetos interativos. Nesse processo, podemos realizar Entrevista de Profundidade ou o Focus Group, entre outros métodos como Imersão por exemplo.
O termo UX veio de alguns evangelistas de IHC, onde a tecnologia se coloca a serviço das pessoas. Agora ganhou força com metologias de Service Design, para representar resultados de negócio.
A Entrevista de Profundidade, é uma descoberta mais profunda do comportamento de um individuo que representa um grupo. 
O Focus Group assim como a Entrevista de Profundidade, são usados para obter resultados qualitativos. 
Os objetivos entre eles são diferentes.
No Focus Group, o envolvimento do Moderador com o Entrevistado é uma dinâmica em grupo: não é tão profundo no comportamento do indivíduo que representa esse grupo.
Também usamos Entrevistas de…